Poema nº 287 - Não posso ver meu país...

Poema nº 287 - Não posso ver meu país...

Este canal do YouTube é dedicado exclusivamente ao áudio do texto abaixo. Ouça o texto na voz de Luiz Sampaio.

Não posso ver meu país…

Não posso ver meu país
vagando nas ruas
                      sem rumo
                                sem tostão

é fácil escrever palavras fáceis
que calam nas mesmas teclas
e não clareiam a escuridão

minhas palavras se estarrecem
                            minha garganta range
                                            como os dentes famintos
(não quero rimar com pão)

Odeio o blá-blá-blá do falso amor
aos coitadinhos
meu país não é pobrezinho
meu país é um gigante
                            assaltado
                                     esfaqueado
                                                  sangrado
por uma turba de abocanhantes

já que não tenho armas
(de fogo
         quero dizer)
aponto minhas palavras
                  (as balas da nossa poderosa língua)
contra as pedras dos peitos
dos que matam meu país à míngua

Luiz Sampaio