Poema nº 289 - MÉRDIO

Poema  nº  289 - MÉRDIO

Este canal do YouTube é dedicado exclusivamente ao áudio do texto abaixo. Ouça o texto na voz de Luiz Sampaio.

MÉRDIO

meu país bate à porta
mas eu bato a porta
se não rega a minha horta
o pleito que ele me diz

foda-se o meu país
que grita e batuca em meu peito

meu umbigo fala mais alto
que não me tomem a paz de assalto
quero mais é ser feliz

Luiz Sampaio